Saúde Bucal
Doenças Bucais
Tira-Dúvidas
Prevenção
Especialidades
Dicas e Curiosidades
Campanha de Prevenção
Cadastro
Contato
  
ESCOVE BEM OS DENTES PARA REDUZIR OS RISCOS DE ENFARTE
 

Escovar os dentes com cuidado pode reduzir o risco de ataque cardíaco, dizem pesquisadores americanos. A mesma bactéria que ataca as gengivas pode causar danos a outras partes do corpo. Estudos mostraram que pessoas com dentes e gengivas em mau estado tendem a sofrer mais problemas de coração, e que isto seria mais do que simples coincidência.

Os dados mais recentes em favor desta teoria foram divulgados durante a reunião anual da Sociedade Americana para o Progresso da Ciência. O pesquisador Mark Herzberg, da Universidade de Minesota, informou que os testes com animais sugerem que algum subgrupos da espécie mais comum de bactérias que agem sobre os dentes podem coagular o sangue.

“Nossos resultados sugerem que a bactéria pode causar coagulação e realmente obstruir as artérias do coração”, disse Herzberg. A obstrução levaria ao ataque cardíaco, que ocorre quando os coágulos ficam presos ás paredes das artérias, já entupidas de colesterol.

Outros cientistas sugerem que talvez o dano não seja causado pelas bactérias, mas sim pela reação do organismo. Pessoas com doenças periodontais sofrem de uma infecção constante que causa inflamação crônica nas gengivas. Seu organismo responde com a produção de potentes substâncias antigermes, que também podem ser danosas.

“As ramificações desta inflamação podem ir longe”, diz Frank Scannapieco, da Universidade Estadual de Nova Iorque, com base em uma pesquisa realizada na cidade de Buffalo (EUA).

Scannapieco e outros pesquisadores constataram que a constante e ligeira inflamação pode influir em outras doenças como diabetes, doenças pulmonares, e até mesmo em nascimentos de prematuros.

Três quartos dos adultos acima de 35 anos têm algum grau de doença periodontal, um problema que não causa dor e problema que não causa dor e apresenta poucos sintomas, exceto gengivas e sangramento durante a escovação. Sob a superfície da gengiva, no entanto, estão bolsões de infecções que contêm bilhões de bactérias. Se fosse possível visualizar todas, apareceria uma ferida profunda, do tamanho da palma da mão das duas mãos juntas.

Quando as bactérias se alojam na base dos dentes, formam uma crosta chamada placa. A espécie mais comum na placa dental é o Streptococcus sanguis. Nos estudos de Herzberg, 60% de todas as variedades de sanguis foram capazes de causar a coagulação do sangue dentro de um tubo de ensaio. Já os testes feitos com coelhos mostraram que uma variedade de Streptococcus sanguis injetada na corrente sanguínea criava coágulos que permaneciam durante meia hora. Os eletrocardiogramas mostravam que os coágulos eram espessos o bastante para reduzir o fluxo de sangue nas artérias coronárias e privar o músculo do coração de parte do oxigênio de que necessita.

O colágeno, uma proteína, geralmente pode causar a coagulação. Herzberg descobriu que as bactérias têm estruturas em sua superfície parecidas com o colágeno e que as células responsáveis pela coagulação confundem essas bactérias com protéinas.

FONTE: JORNAL DA UNIODONTO DO PARANÁ 1998.

 
 Diversas



Voltar

Dentista Virtual é um serviço Uniodonto® Campinas