Saúde Bucal
Doenças Bucais
Tira-Dúvidas
Prevenção
Especialidades
Dicas e Curiosidades
Campanha de Prevenção
Cadastro
Contato
  
ESTUDO DE CASO
 

Segundo alguns autores, o tratamento da classe II em crianças deve ser iniciado o mais precocemente possível com o uso de aparelhos ortopédios funcionais. Stôckli e Teuscher apresentam de forma convincente que um tratamento combinado contra a maxila, usando um aparelho funcional e força extrabucal, produz correção mais estável e significativa estética, esquelética e funcionalmente. O presente trabalho tem por objetivo apresentar um caso no qual a classe II foi corrigida através da utilização de aparelho ortopédio funcional, combinado com aparelho extrabucal durante uma primeira fase e ortodontia corretiva, numa segunda fase, com significativa melhora do perfil paciente.

Descrição do Caso

A paciente, G.T.M., 6 anos, procurou tratamento ortodôntico com queixa de protusão maxilias. Durante a execução da anamnese e inventário de saúde, observou-se que era respiradora bucal noturna. A análise facial apresentava um aumento do terço inferior da face, falta de vedamento labial e um perfil convexo(fig. 1 e 4).No exame bucal verificou-se dentição mista, sobremordida profunda, relação de classe II de Angle e mordida cruzada posterior bilateral (fig. 8).



A radiografia panorâmica mostrou a presença de todos os germes permanentes.

As analises cefalométricas de paciente apresentaram um classe II, esquelétrica com um bom potencial de crescimento do complexo maxilo-mandibular.

Desenvolvimento Clinico

Foi feito o encaminhamento da paciente para o otorrinolaringologista para tratamento da respiração bucal.

Com a finalidade de eliminar a mordida cruzada e favorecer o crescimento mandibular, foi utilizado um aparelhjo ortopédico com parafuso expansor e avanço mandibular. Conseguida e correção da mordida cruzada, um aparelho extrabucal de puxada alta foi acrescentado ao tratamento com a intersão de conter o crescimento para frente da maxila ate que um relação de classe I fosse atingida(fig. 2,5 e 9).



Após 18 meses de uso, o aparelho ortopédio foi removido e o extrabucal foi mantido até o inicio do tratamento corretivo, no qual foi utilizado aparelho fixo com prescrição de Roth por um período de 18 meses.

Análise dos resultados obtidos (fig. 3,6,7 e 10).



É importante lembrar que o diagnóstico correto do padrão de crescimento da criança é o fator determinante para o sucesso de um tratamento como o apresentado.

As expectativas da paciente e seus pais foram atendidas, obtendo um face harmoniosa e eliminando o perfil convexo(fig. 3 e 6).
A má oclusão dentária foi corrigida proporcionando uma oclusão estética e funcionalmente estável.

A foto facial final mostra um sorriso harmonioso apesar de apresentar um exposição gengival aumentada, causada pelo lábio superior curto (fig. 7).


Referência Bibliográficas

1-Graber Tm; Racosi T; Petrovic Ac. Dentofacial orthopedics with Functional appliances, St. Louis:Mosby;1985
2- Planas P. Reabilitação neuro oclusal. Rio de Janeiro:Medsi:1988.
3-SIMOES WA. Ortopedia functional de los maxilares:Vista através de la rehabilitacion neuro-oclusal. São Paulo: Santos:1985.
4- SIMOES WA. Ortopedia functional de los maxilares:Vista através de la rehabilitacion neuro-oclusal. Caracas:Ediciones Isaro:v.II
5-Stockli Ws: Teuscher UM. Combined activetor headger orthopedcs, in; Graver Tm; Vanarsdali Rl. Ortodontics: Current principles and techniques 2 ed. St. Louis: Mosby: 1994.

 
 Diversas



Voltar

Dentista Virtual é um serviço Uniodonto® Campinas